Sector vinícola não fica imune ao vírus.

Sector vinícola não fica imune ao vírus.

Lafões unido contra as adversidades.

Após a expansão que o sector vinícola de Lafões começava a dar em passos largos com o incremento da produção do precioso néctar da região, o drama vivido pelo sector da restauração pode/poderia também fazer arrastar os produtores vitivinícolas de Lafões para uma crise, o que seria altamente penalizador para uma produção de alta qualidade, como a que se adivinha com a colheita de 2020.

Numa primeira abordagem sobre o sector, ainda sem números finais nem um balanço que se possa fazer por antecipação, visitamos a Quinta da Moitinha e pelo meio da conversa sobre os tempos que se estão a viver, há pelo menos um dado positivo a realçar: Algumas das empresas que habitualmente faziam jantares de Natal e dadas as restrições que não se permitam ajuntamentos, várias empresas optaram pela ofertas de vinhos, o que veio de certa forma amenizar algumas das adversidades vividas nesse sector económico.

António Costa, da Quinta da Moitinha, mostrou-se agraciado por esta forma de estar dos empresários da região, ajudando a que o cenário não seja tão negativo como se poderia antecipar, apesar que não se pode ainda prever os efeitos que a pandemia poderá trazer ao sector.

E segundo outras informações obtidas em diversos sectores, algumas das empresas optaram também por oferecer aos seus colaboradores durante a época natalícia, vouchers de compras na região, substituído o valor que iriam despender nos jantares de natal por uma oferta dinamizadora da economia da região.

(Fonte: Aníbal Seraphim)

Deixe uma resposta