# ARQUEOLOGIA

Desde cedo o homem terá pisado as nossas terras. Por toda a região existem cavernas, antas, dolmens que comprovam o facto.
Alguns destes sítios deverão merecer mais atenção e cuidado e sinalização. Vamos também mostrar os mais importantes.
A informação deverá ir sendo acrescentada progressivamente.
Se tiver informação que possa partilhar agradecemos que nos envie a mesma.

O Castro da Cárcoda situa-se a cerca e 2 Km da povoação de Carvalhais, em plena Serra da Arada, a 610 m de altitude.
Vestígios aí encontrados indicam uma fundação por alturas do Bronze Final e uma sobrevivência até à época Romana. O seu apogeu situa-se, sem dúvida, na idade do Ferro/Época Romana, altura em que o povoado sofreu grande desenvolvimento.

A Anta da Arca é um monumento megalítico situado em Paranho de Arca, na antiga freguesia de Arca, em Oliveira de Frades, Portugal. Localiza-se na EN230, km 48,5, entre Águeda e Caramulo, acesso à esquerda em Paranho de Arca, cerca de 50 m de caminho de terra.

Classificado como Monumento Nacional em 1990, o Dólmen ou Anta pintada de Antelas é um dos mais importantes vestígios materiais da cultura megalítica em Portugal. Este monumento do megalitismo nacional localiza-se entre as povoações de Pereiras e Antelas, a cerca de 5 km da vila de Oliveira de Frades.

“A cova do Lobisomem é uma caverna pré-histórica, encontra-se na povoação de Cambra de Baixo, da freguesia de Cambra, situada na margem direita do rio Alfusqueiro. Acerca desta caverna, existe uma lenda, onde se fala que havia um fantasma que de dia descansava na margem do rio, e de noite percorria sete freguesias. A situação desta caverna em relação ao rio, e o facto de ficar na parte externa duma curva deste, onde a erosão é portanto mais ativa, levando a querer que ela tenha sido em parte escavada pelas águas.

Localizado na povoação de Benfeitas, freguesia de Destriz, o arqueosítio é composto de uma rocha granítica com aproximadamente seis metros e meio de comprimento e três e meio de largura, em cuja superfície foram gravados diversos símbolos, já bastante esbatidos pela acção dos agentes de alteração e alterabilidade..

ALBERGARIA-HOSPITAL DE REIGOSO foi fundada em 1195, por um como reza uma inscrição latina gravada numa pedra calcária do arco cruzeiro da igreja daquela freguesia. Revelou esta inscrição e dela deu primeira notícia, em 1921, Amorim Girão. Este edifício terá sido mandado construir põe , um antigo alcaide (“pretor”, no latim bárbaro) de Coimbra, de nome Cerveira.