You are currently viewing Redes Cidades Circulares | “Ciclo Urbano da Água” e “Urbanismo e Construção”

Redes Cidades Circulares | “Ciclo Urbano da Água” e “Urbanismo e Construção”

No âmbito da “Iniciativa Nacional Cidades Circulares” (InC2) do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, que visa apoiar e capacitar os Municípios e as suas comunidades na transição para a economia circular, o Município, com o objetivo de promover o desenvolvimento urbano sustentável, submeteu, recentemente, duas candidaturas a redes sob os temas: “Ciclo Urbano da Água” e “Urbanismo e Construção”.

A rede da circularidade da água, para além do Município, integra as Autarquias de Guimarães, Águeda, Lagoa (Açores), Loulé, Mértola, Oeiras e Ponte de Sor.

Com esta intervenção que se traduzirá num Ecossistema de Inovação Digital, o objetivo é promover o uso sustentável, equilibrado e equitativo de água de boa qualidade, reduzindo consumos e perdas, aproveitar as águas pluviais e reutilizar as águas residuais tratadas, contribuindo para a neutralidade carbónica.

Já da rede para a construção circular e sustentável fazem parte o nosso Município, juntamente, com as Câmaras Municipais de Vila Nova de Gaia, Mangualde, Mértola, Ponta Delgada, Ponte de Sor, Ribeira Brava (Madeira) e Valongo.

Visa-se, assim, promover a reconstrução/reabilitação urbana, procurando conter a expansão infraestrutural e manter os centros urbanos e rurais coesos, vivos e dinâmicos, capacitando para as boas práticas de reabilitação sustentável e o re(uso) natural dos recursos, potenciando a transição para uma economia circular e de baixo carbono com foco na durabilidade, adaptabilidade e redução de recursos em edifícios e espaço público.

De realçar que o orçamento das redes é cofinanciado a 75% pelo Fundo Ambiental.

No caso das duas candidaturas serem aprovadas, Oliveira de Frades fica, assim, integrado em dois novos projetos de partilha de conhecimento, crescimento coletivo e desenvolvimento sustentável e integrado, prevendo-se um orçamento total para o Município de 59.900 €.

Cada rede permitirá ao Município definir um grupo de planeamento de ação local com o objetivo de abrir o projeto à comunidade a atores locais relevantes. Este grupo irá desenvolver um plano de ação estratégico que permitirá alcançar os objetivos definidos pela rede.

A definição destes planos permitirá ao Município aceder a fundos europeus para a implementação das ações definidas que irão beneficiar a qualidade de vida das pessoas e o ambiente.

 

[Fonte: Município de Oliveira de Frades]

Deixe uma resposta